Rossi dirige o grupo Honda de quatro e lidera o Indy FP1 em Toronto. Castroneves é o décimo segundo

O americano Alexander Rossi, da Andretti, dirigiu o treino livre 1 da Indy em Toronto, no Canadá, pendurado na noite desta sexta-feira (15). Com um período de 1min00s609, o proprietário do veículo #27 dirigiu um 4 principal formado por veículos controlados pela Honda na primeira ação do final de semana em Bastante Tempo.

O francês Simon Pagenaud, último vencedor do GP de Toronto e agora no Meyer Knife, foi o vice-campeão, com o americano Graham Rahal, da RLL, em terceiro e o sueco Marcus Ericsson, pioneiro do título para Ganassi, em quarto lugar. O melhor Chevrolet foi o herói de dois cruzamentos da Penske, Josef Newgarden, que ficou em quinto.

Felix Rosenqvist, da McLaren, fechou em 6º, seguido por Colton Herta, Scott Dixon e Self disciplina. O atual campeão Álex Palou, após a semana de virada em que relatou a mudança de Ganassi para McLaren para 2023, fechou os 10 melhores.

O brasileiro Helio Castroneves completou o movimento de pista principal em Toronto na décima segunda posição. O piloto de Meyer Knife marcou 1min01s245, e ainda teve um pequeno contratempo no último trecho da prova.

O treino 2 da Indy em Toronto está marcado para as 11:00 (Brasília, GMT – 3) deste sábado. Enquanto a caracterização está marcada para começar às 15:00.

Entenda MAIS: Indy aumenta com autoridade os treinos livres de 1 a 75 minutos em circuitos mistos e de estrada

Saiba mais sobre o Indy Free Practice 1 em Toronto:

Os treinos livres de 75 minutos começaram às 15h40 (horário de Brasília), com os veículos indo para a pista em suas voltas de arranjo individual, voltando rapidamente aos boxes. Os 15 minutos iniciais de movimento foram separados por alguns veículos na pista e com pilotos que nunca haviam pilotado em Toronto pela IndyCar assumindo o controle da pista. A largada mais rápida foi para o caseiro Devlin DeFrancesco, da Andretti, com 1min02s450.

Atual chefe e pilotando em Toronto curiosamente, Álex Palou começou a liderar o pelotão na preparação com Ganassi, marcando 1min01s478. David Malukas, de Dale Coyne, vinha logo atrás com 1min02s027. A liderança foi tomada pelo Resolve, que colocou um período de 1min01s324 para tirar Palou da primeira posição.

O novo pioneiro da reunião se transformou em Alexander Rossi, da Andretti, que cronometrou 1min01s306. Após 30 minutos de corrida em Toronto, os 10 principais também contaram com Autodisciplina, Simon Pagenaud, Álex Palou, Felix Rosenqvist, Marcus Ericsson, David Malukas, Graham Rahal, Josef Newgarden e Takuma Sato.

O principal aviso do dia veio, porém não por coincidência, mas sim em função das circunstâncias do black-top na curva 2. Após exame pelo grupo de segurança da IndyCar e 4 minutos de interferência, a bandeira verde apareceu novamente em Toronto. O pioneiro foi Felix Rosenqvist, da McLaren, com 1min01s301.

Perto dos últimos 30 minutos de preparação, Graham Rahal chocou e levou o RLL ao topo com um período de 1min01s218. Além disso, a reunião foi novamente invadida, desta vez por causa de um acidente de Callum Ilott, dos Juncos, na curva 2.

A prática foi permitida novamente após a liberação da pista, mas o aviso apareceu mais uma vez, desta vez por Jimmie Johnson da Ganassi, que virou e contatou a massa da curva 8 delicadamente. O grupo de salvamento ajudou o sete vezes NASCAR a defender o reinício do veículo, e ele levou o Ganassi #48 de volta aos boxes.

A bandeira verde confeccionou 16 minutos restantes no trabalho. O brasileiro Helio Castroneves chocou e saltou para a segunda colocação com Meyer Knife, com 1min01s245. Palou voltou à liderança com um período de 1min01s137, deixando Rahal em segundo e Hélio em terceiro.

A vantagem do espanhol não durou muito, com Felix Rosenqvist cronometrando 1min00s793 e saltando para o primeiro lugar, apenas para ser superado segundos após o fato por Alexander Rossi com 1min00s609. Rahal, Ericsson e Newgarden também venceram o sueco, que caiu para quinto.

Faltando menos de quatro minutos, outro aviso. Agora por força de Hélio Castroneves, que virou e acertou a obstrução do pneu na curva 8. A interferência foi curta, pois o brasileiro reiniciou o veículo sozinho e descobriu como voltar aos boxes.

Similar Posts