Power guarda Palou e lamenta não aparição de “figura como Zak Brown” no passado da IndyCar

Segundo colocado na classificação da Indy, o australiano Resolve, da Penske, deu sua perspectiva sobre o impasse entre Álex Palou, Ganassi e McLaren que movimentou o trecho de sete dias do GP de Toronto, a 10ª fase da vez.

O atual campeão da IndyCar, Palou, declarou um acordo com a McLaren para 2023 horas depois que Ganassi informou que havia praticado sua escolha de manter o espanhol sob acordo na próxima temporada. Alex, na verdade, não sabe em qual classificação ele vai correr no ano seguinte, no entanto, ele entrou no último programa de testes de veículos da F1 do grupo Woking.

Power, 41, lamentou a falta do chefe da McLaren, Zak Brown, do passado da IndyCar. O australiano descobriu que pensaria em uma transição para a Receita 1 supondo que a porta aberta surgisse. As corridas australianas na classificação começam por volta de 2006, ainda nos dias de Winner Vehicle.

“Gostaria que houvesse um Zak Brown por aqui quando eu tinha essa idade, quando cheguei à Indy. Sinto que teria uma oportunidade na Receita 1 . É legal ver isso, pois sei como eles se sentem. Percebo como seria surpreendente para Colton [Herta]. Supondo que ele vá lá, eu realmente quero acreditar que ele se dá admiravelmente. É fenomenal ter um grupo como McLaren e Zak Brown na Indy. É perfeito para a classificação. É ótimo ver os jovens aqui, acho extraordinário o que Zak está fazendo”, expressou Power em uma sessão de perguntas e respostas na última quarta-feira.

Herta, que é o piloto da Andretti na IndyCar, recentemente fechou para se tornar importante para o programa de testes da McLaren Recipe 1, e dirigiu o MCLM35 2021 em um movimento fechado no autódromo de Portimão, em Portugal. Pato O’Ward também tentou a classificação, e a vez de Palou, atualmente em outro acordo, parece estar próxima.

“O relacionamento com a F1 é 100% porque Palou precisa estar lá. Não o culpo, faria o mesmo. No caso de você ter a oportunidade de correr na Equação 1 , como está atualmente, de fato, você precisaria ir até lá. Você contempla o alcance que a McLaren tem, com a Receita E , Receita 1, perseverança. É um local e uma associação decentes para se envolver.”

A Indy disputa o GP de Toronto, no Canadá, neste domingo (17). A largada está marcada para as 16h30 (horário de Brasília).

———–
Ganassi considera colocar Kanaan no veículo #10 e juntar Palou após a troca pela McLaren

Chip Ganassi teria ficado irritado com a escolha de Alex Palou de mudar de Ganassi para McLaren e agora está contemplando suplantar o campeão dominante da Indy neste final de semana.

Ganassi informou nesta terça-feira um acordo de recarga com Álex Palou para 2023, mas, horas após o fato, foi negado pelo próprio piloto. Em seguida, a McLaren informou a marcação do espanhol, sem indicar para qual classe.

A traição de Palou teria deixado Chip Ganassi, chefe do grupo, enfurecido, e o diretor já está pensando em suplantar o atual campeão da Indy no GP de Toronto, que acontece neste domingo.

O principal candidato a se sentar é o brasileiro Tony Kanaan, que empurrou o Indianápolis 2022

500 com o grupo e poderia completar a temporada com o veículo #10.


Depois de três anos afastado, Indy volta ao circuito rodoviário coletado em Toronto, Canadá, para a principal corrida fora dos EUA em 2022. Não é agora o momento ideal para pensar em uma re-visitação ao México?

O fim de semana denota uma ocasião significativa para a IndyCar. Após uma ausência de três anos, a classificação volta a se movimentar no Canadá com o GP convencional na cidade de Toronto, o que não facilitou o título nas duas últimas temporadas por conta das limitações impostas pela pandemia do Coronavírus.

No vídeo desta quarta-feira (13), Gabriel Carvalho levanta uma questão sobre a internacionalização da IndyCar, porém em outra praça. Não seria a oportunidade ideal para a classificação obter a energia da notoriedade de Pato O’Ward e elevar uma re-visitação ao México? Na verdade, dê uma olhada na conversa.

Similar Posts