Newgarden domina, resiste a reinícios e vence GP 1 de Iowa. Castroneves é décimo sexto

Mais uma vez, Josef Newgarden venceu. No GP 1 de Iowa, realizado na noite deste sábado (23), o piloto da Penske, que largou da segunda colocação, conquistou a colega Autodisciplina em um reinício próximo ao início da corrida e passou a vencer pela quarta vez na temporada 2022, combinando como a pessoa que mais prevaleceu no ano.

O mexicano Pato O’Ward, da McLaren, voltou à plataforma com o segundo lugar. Apesar de descer em Newgarden no final, ele perdeu ritmo nos pneus e ficou feliz com o poste. O Australian Resolve, posto situado e parceiro de Josef na Penske, terminou em 3º lugar.

Rinus VeeKay, da Woodworker, foi o quarto, enquanto o hexacampeão Scott Dixon de Ganassi foi o quinto. O atual campeão Álex Palou , também de Ganassi, até lutou pela plataforma, mas perdeu ritmo após uma confusão na última reta e foi 6º.

O francês de Andretti, Romain Grosjean, voltou a ficar intrigado e conquistou o sétimo lugar, atrás do atual pioneiro do título Marcus Ericsson, que manteve sua sequência de 10 principais com o oitavo lugar. Graham Rahal e Christian Lundgaard terminaram a lista dos 10 melhores.

O brasileiro Helio Castroneves veio para liderar a prova, porém a metodologia eletiva deixou o piloto Meyer Knife apenas na décima sexta colocação.

A corrida 2 da IndyCar em Iowa está prevista para as 16h00 (GMT – 3) deste domingo, com inclusão total do Amazing PRIX e transmissão para o Brasil pela televisão Cultura, ESPN e Star+.

Descubra como foi o GP 1 de Iowa:

O início foi esclarecido e Power descobriu como espalhar Newgarden. O’Ward e McLaughlin começaram a disputar o terceiro lugar de Daly. As primeiras posições ficaram intactas nas 10 voltas iniciais. A Ericsson fez muito terreno, passando do décimo segundo para o nono. Castroneves também subiu bem, saltando de 25º para 17º. Com 10 voltas, os 10 melhores foram Power, Newgarden, Daly, O’Ward, McLaughlin, Malukas, VeeKay, Harvey, Ericsson e Rosenqvist.

Na volta 17, veio o amarelo principal do dia. Jimmie Johnson, que estava em décimo terceiro lugar, entrou na curva 4, mas descobriu como se manter longe do acidente. Pilotos fora dos 10 principais, como Herta, Dixon e Castroneves, exploraram o segundo para impulsionar a janela de intervalo de reabastecimento primário, voltando para a parte traseira do campo.

A relargada aconteceu na volta 24. A potência foi severa e viu Newgarden lançar um ataque logo na curva 1, começando a liderar o pelotão. Quem também saiu foi Marcus Ericsson , que tirou VeeKay e Malukas do caminho, saltando para 6º. O chefe do título também levou McLaughlin para longe e ficou em quinto lugar.

Após a proa, Ericsson passou por Daly e saltou para a quarta. Com pneus novos, Castroneves fez uma corrida extraordinária, chegando ao décimo lugar com pneus novos. Seguindo a foice, Ericsson passou por Daly e saltou para a quarta. Com pneus novos, Castroneves fez uma corrida extraordinária, chegando ao 10º lugar com pneus novos. Além disso, Colton Herta, que chegou ao quinto lugar depois de superar Conor Daly, também dirigiu em todos os lugares. .

Às 50 voltas, a corrida tinha Newgarden solidamente à frente do pelotão, seguido por Power, O’Ward, Herta, Ericsson, McLaughlin, Castroneves, VeeKay, Rosenqvist e Johnson. Com uma velocidade excepcionalmente impressionante, Colton superou Pato e conquistou o terceiro lugar. Daly, que largou em terceiro e perdeu muita velocidade, chegou aos boxes na volta 52.

O pioneiro da corrida Newgarden parou na volta 61. Power e Herta chegaram na volta seguinte, e alguns pilotos que desistiram durante o amarelo de Jimmie Johnson decidiram pela parada seguinte, assim como Scott Dixon. A liderança caiu no colo de Johnson, com Castroneves em segundo e DeFrancesco em terceiro. O brasileiro acabou voltando aos boxes na volta 65.

A corrida chegou a 75 voltas com Johnson pilotando, seguido por Newgarden, O’Ward, Power, Ericsson, Kellett, Herta, McLaughlin, Dixon, VeeKay e Woodworker. O sete vezes campeão da NASCAR seguiu a liderança até a volta 80, quando finalmente selecionou o intervalo de reabastecimento subsequente. Newgarden retomou a liderança, bem na frente de O’Ward, que foi o segundo. A Power ficou em terceiro, com Ericsson em quarto e Herta em quinto. O piloto da Andretti não resistiu por muito tempo, superado por McLaughlin.

A corrida teve 100 voltas com Newgarden em primeiro lugar e 5s893 na frente de O’Ward. Ericsson ultrapassou Power e ficou em terceiro lugar. McLaughlin, Dixon, Johnson, VeeKay, Rosenqvist e Herta equilibraram os 10 principais. Castroneves foi décimo primeiro. Johnson começou uma curva e ficou em quinto lugar, levando Scott Dixon e Scott McLaughlin para longe.

Com 111 voltas, apareceu o segundo amarelo da prova. Envolvendo uma melhor 10 posição, Felix Rosenqvist virou na curva 2 e bateu as costas na parede. Os pioneiros, particularmente Newgarden, O’Ward e Ericosson, perseguiram a porta aberta para outra parada. O novo pedido de corrida teve Newgarden, O’Ward, Ericsson, Power, McLaughlin, Johnson, Dixon, VeeKay, Ilott e Palou enquadrando os dez principais. Herta teve problemas nos boxes e viu o motor parar.

O reinício aconteceu na volta 125. Newgarden voltou a saltar bem, e foi Ericsson quem surpreendeu, tirando O’Ward do caminho e ficando perto do líder. O poder também ultrapassou o mexicano. O amarelo voltou novamente na volta 127 por causa do lixo na pista.

A relargada ocorreu na volta 134. Newgarden foi pressionado pela Ericsson, mas manteve a liderança. O sueco, que quase entrou em contato com o americano, se surpreendeu com a velocidade de Power e caiu para terceiro. Com 100 reviravoltas restantes, Josef estava 0s279 atrás de seu colega. Não muito atrás, o sueco Ericsson teve a tensão do mexicano O’Ward. McLaughlin, VeeKay, Johnson, Palou, Grosjean e Dixon ficaram entre os 10 melhores.

Pato finalmente afastou Marcus do caminho e assumiu a última posição da plataforma. Power até começou uma tensão em Newgarden, mas viu uma defesa decente de seu parceiro. McLaughlin começou a pressionar Ericsson, que cometeu um erro, passou no solo e perdeu muitas posições, caindo para 10º. Na volta 165, Ed Woodworker soltou-se completamente e levantou um tumulto pela cidade na curva 3, causando a quarta bandeira amarela do dia. Uma parte decente do campo, incluindo os três iniciais, explorou a janela para outro intervalo de reabastecimento.

Para o reinício, os 10 melhores pedidos foram Newgarden, Power, O’Ward, McLaughlin, Palou, Johnson, VeeKay, Dixon, Lundgaard e Ericsson. Antes da bandeira verde, Scott McLaughlin teve problemas com uma lentidão de pechincha inadequadamente ajustada. Palou essencialmente brilhou, superando Pato e ficando em terceiro lugar. Josef permaneceu no limite.

A uma velocidade excepcionalmente impressionante, Palou começou a pressionar Power pelo segundo lugar. O próximo na fila se protegeu bem e passou a perseguir Newgarden pela liderança. Depois de uma luta extraordinária, Jimmie Johnson descobriu como conquistar Rinus VeeKay e ficou em quinto lugar. Pato recuperou sua grande estrutura e superou Álex, assumindo uma posição de plataforma.

Ainda na subida, O’Ward também levou o poder longe para ficar um pouco abaixo do líder. O australiano lamentou a velocidade infeliz com os pneus. Surpreendentemente, Grosjean superou Jimmie Johnson e ficou em 6º lugar. O sete vezes campeão da NASCAR também foi superado pelo parceiro Scott Dixon.

Pato perdeu velocidade e viu Newgarden abrir o buraco nas últimas voltas, deixando nas mãos o quarto triunfo do ano do americano. Palou cometeu um erro e perdeu posições, deixando a plataforma de Power assegurada.

Similar Posts