Pilotos de F1 chegam à proteção de Hamilton após discurso preconceituoso de Piquet se tornar famoso online

Depois de George Russell, Charles Leclerc, Esteban Ocon e Lando Norris, mais sócios da malha da Fórmula 1 optaram por mostrar abertamente apoio a Lewis Hamilton após o vídeo da reunião de Nelson Piquet, em que ele utiliza uma palavra preconceituosa para aludir ao inglês, tornar-se um sensação da web nas organizações interpessoais e repercutir na imprensa mundial nesta terça-feira (28). Mensagens renunciando à segregação sofrida pelo agente da Mercedes foram compartilhadas por diferentes motoristas por meio de entretenimento virtual.

Daniel Ricciardo utilizou seu registro no Instagram para dizer que “separação e intolerância não têm importância neste jogo, nem em nosso público em geral”. “As pessoas que decidem espalhar o desdém e utilizar essas palavras não são meus companheiros”, prosseguiu.

O australiano também elogiou a batalha de Hamilton pela consideração, dizendo no final da mensagem que o heptacampeão pode contar continuamente com sua ajuda. “Preciso agradecer a Lewis e basicamente tudo o que ele fez dentro e fora de controle, espalhando mensagens de uniformidade, mas lutando contra o desdém. Eu nunca administrei nenhuma atividade persuadida pelo preconceito, mas ele o administrou por toda a sua vida. No entanto, cada vez que sua reação ao aborrecimento é estimulada pelo desenvolvimento, pela energia, ela ensina ao mundo como devemos agir. Sou seu aliado e farei o que quiser para segui-lo e defendê-lo.”

Mick Schumacher também mostrou apoio a Hamilton por meio de histórias do Instagram. O piloto da Haas transmitiu uma foto de Hamilton à bandeira britânica no escuro e expressou “Estamos com você Lewis”.

Outro que também registrou a negação do fanatismo sofrido pelo heptacampeão foi Guanyu Zhou. O chinês compôs em seu entretenimento baseado na web o que acompanha: “Eu estou com Lewis e a área de automobilismo local contra qualquer tipo de intolerância, segregação e preconceito”.

Carlos Sainz, enquanto isso, retweetou a mensagem da Ferrari, dizendo: “Estamos com a F1, Lewis Hamilton e Mercedes contra qualquer tipo de segregação”. Enquanto Pierre Gasly compartilhava através de stories, no Instagram, a mensagem que acompanhava: “Você não pode adorar o modo de vida e não ajudar as pessoas”.

AntoNio Giovinazzi, que ocupa o cargo de piloto de espera da Ferrari em 2022, também mostrou apoio ao britânico: “O fanatismo e o desprezo vêm do esquecimento. Tente não se aquietar, não os faça desenvolver. É a oportunidade ideal de atividade!”, escreveu em suas organizações.

A observação com a utilização de um termo preconceituoso de Nelson Piquet aconteceu no ano passado, quando o tricampeão comentava sobre o acidente entre o piloto da Mercedes e Max Verstappen no GP da Inglaterra de Fórmula 1. No vídeo, que ganhou repercussão na imprensa mundial, o colunista Ricardo Oliveira examinou Piquet a respeito de uma jogada comparável de Ayrton Senna antes, e o tricampeão se desentendeu. “O ‘neguinho’ colocou o veículo e não deixou [Verstappen passar]. […] O neguinho saiu do veículo, pois era absolutamente impossível passar dois veículos naquela curva. [… ] O ‘neguinho’ fez uma jogada suja”, expressou Piquet na reunião realizada em 3 de novembro de 2021.

A realidade produziu articulações públicas de repúdio à Fórmula 1, que não especificou o nome de Piquet em uma explicação de autoridade entregue. “A linguagem tendenciosa ou preconceituosa é insatisfatória em qualquer capacidade e não é essencial para a sociedade. Lewis é um enviado extraordinário para o nosso jogo e merece consideração. Seus esforços energéticos para expandir a variedade e consideração são uma ilustração de muitos e algo em que estamos focados na F1.”

A Mercedes também se opôs formalmente à linguagem utilizada por Piquet. “Censuramos nos termos mais fundamentados qualquer utilização de linguagem preconceituosa ou tendenciosa de qualquer tipo. Lewis conduziu os esforços do nosso jogo para combater o preconceito e ele é um chefe genuíno de variedade e fora de controle. Juntos, compartilhamos a visão de um automobilismo diferente e abrangente, e este episódio apresenta o significado essencial de continuar lutando por um futuro superior”.

A FIA também desmentiu a ocasião, dizendo em uma proclamação de autoridade em sua conta no Twitter que “denuncia inequivocamente qualquer linguagem e conduta preconceituosa ou injusta que não seja bem-vinda no jogo ou na sociedade em geral. Expressamos nossa fortaleza com Lewis Hamilton e apoiamos completamente sua obrigação de uniformidade, variedade e consideração no automobilismo”.

Entenda MAIS
+ F1 e Mercedes censuram uso de termo preconceituoso por Nelson Piquet para aludir a Hamilton
+ Hamilton responde discurso preconceituoso de Nelson Piquet: “Perspectivas obsoletas precisam mudar”
+ Russell comunica apoio a Hamilton após discurso preconceituoso de Piquet: “Inadequado”
+ Grupos de F1 se unem em renúncia ao termo intolerante utilizado por Piquet contra Hamilton
+ Mundo esportivo se junta ao lado de Hamilton após discurso intolerante de Piquet
+ Leclerc defende Hamilton após discursos intolerantes de Piquet: “Não deve continuar sem sérias consequências”
+ F2 : Red Bull encerra contrato VIP após término do exame do caso de prejuízo

Similar Posts