Castroneves lamenta o décimo nono em Indianápolis, mas traz à tona que o resultado “poderia ser muito mais terrível”

O brasileiro Hélio Castroneves não fez uma apresentação decente naquele estado de espírito de Indianápolis 2 neste sábado (30). Começando na décima sexta posição, o piloto do Meyer Knife estava envolvido com ocorrências na pista, mais notavelmente com Autodisciplina e David Malukas, quando tentou pensar por um segundo sequer para se mover e por pouco errou causando um grave acidente.

Castroneves chegou a entrar em contato com o traseiro de Kyle Kirkwood, o que lhe rendeu uma disciplina. O brasileiro não se contentou com o resultado, mas admitiu que a corrida em Indianápolis poderia ter terminado muito mais lamentável.

“Começamos muito forte e depois tive a chance de lutar com Will e Malukas e foi incrível, não faço ideia de como não caí em um grande contratempo. Descobrimos como voltar para o décimo quinto, décimo sexto e depois estávamos tentando fazer um procedimento decente, economizar combustível e estava funcionando”, expressou Helio após o GP de Indianápolis 2 .

“Seja como for, tragicamente a faixa amarela nos chocou e recebi uma punição, que foi minha falha, bati na traseira do veículo nº 14 de Foyt e perdemos mais dez segundos. Portanto, o décimo nono, com essa insanidade, é terrível, mas não uma quantia tão grande, francamente, porque pode muito bem ser muito mais lamentável. ”

Com o resultado, Castroneves agora possui a décima oitava posição no agrupamento IndyCar. Alexander Rossi quebrou um rápido de três anos e venceu o GP de Indianápolis 2 e o Resolve recuperou a iniciativa da classificação. A IndyCar retorna daqui a um fim de semana, para o GP de Nashville.

Similar Posts