Basquetebol Polônia vence a campeã Eslovênia em uma recreação que eles vão duplamente

Em Berlim, o pelotão polonês, liderado por uma estranha ‘dobradinha triádica’ por meio de Mateusz Ponitka, parecia estar ‘certo’ nas meias-finais quando conquistou uma vantagem de 22 fatores no primeiro tempo (58-36), no entanto o pelotão esloveno respondeu em ‘ótimo’.

Sob o comando de Doncic, e além da corrida, a Eslovênia teve um notável período de 1/3( 24-6), inserindo-se um fator e, na manhã do quarto, realizou o retorno, inserindo-se 5 fatores à frente( 73-68) .

Os titulares pareciam ter feito a coisa mais sutil, mas a Polônia agora não cedeu, ficou calada e, no final, acabou superior, certamente agora não se livrando de um pavor, quando permitiu que os eslovenos, antes barrados Doncic- barrado com 5 faltas e faltando 3,02 brilhos, recuperando-se de 89-80 para 90-87.

A Eslovênia, no entanto, teve a posse de bola para levar o esporte a um tempo redundante, mas Klemen Prepelic não conseguiu, tirando fotos de longe, em uma jogada em que reclamou de uma falta.

Mateusz Ponitka, arranjador de 26 pontos, com oito em 17 em arremessos de campo, junto com 5 em treze em ‘trigêmeos’, e 5 em seis em lances livres, dezesseis rebotes e 10 assistências, já foi o grande’ cruel’ dos eslovenos.

Naturalizado AJ Slaughter, com dezesseis pontos, seis rebotes e 4 assistências, e Michael Sokolowski, com dezesseis fatores e 5 rebotes, também estavam em boa forma, assim como Jaroslaw Zyskowski (14 pontos) e Aleksander Balcerowski (11).

No pelotão esloveno, Luka Doncic chegou a ficar preso à ‘dobradinha triádica’, com 14 pontos, 11 rebotes e sete assistências, mas, visivelmente desgastado, estava a ‘quilômetros’ das atuações anteriores e não conseguiu ficar longe da derrota .

Vlatko Cancar, com 21 pontos, e Goran Dragic, com 17, foram os principais compositores dos eslovenos, que só tiveram oito fatores de Mike Tobey e compraram ao lado geralmente mal com a excepcional agressividade da defesa polonesa.

A primeira duração costumava ser seguramente equilibrada, embora quase continuamente com o benefício da Polónia, que acabou por se adiantar (29-26) e corroborava notavelmente o benefício no suplente, atingindo uma inimaginável parcial de 22-2, na área de7. 24 brilhos.

Os poloneses lideraram por 22 pontos (58-36) e cresceram para se tornarem redondos com 19 a mais (58-39), mas tudo mudou após o intervalo, com a Eslovênia dominando absolutamente o 1/3 do período (24-6) e configurando se simplesmente um ponto (64-63).

No quarto período, os titulares perseveraram no auge no lançamento e conseguiram liderar por 5 pontos (73-68), porém não julgou, e a Polônia, que se considerava perdida, ‘retornou’ à recreação e prevaleceu no restante ..

Os poloneses, que já garantiram sua excelente classificação no Campeonato Europeu, considerando o fato de que a quarta vizinhança em 1971 – eles ganharam preliminarmente uma louça e dois prêmios – enfrentarão a França nas semifinais, que derrotou a Itália por 93 a 85 após a prorrogação .

Similar Posts